Incidente trava rapidez da GOODSENSE

PDF
   A GOODSENSE Racing Team protagonizou hoje uma performance assinalável em Barcelona, tendo rodado entre os seis primeiros da geral, incluindo os concorrentes do International GT Open e do Campeonato de España IberGT, mas diversos incidentes, próprios de uma corrida com muitos carros em pista, acabou por obrigar José Ramos e Patrick Cunha ao abandono.

O piloto de Braga arrancava da segunda posição entre os concorrentes da competição espanhola, o que permitia aos homens do Lamborghini Gallardo aspirarem lutar pela vitória. Com a pista molhada, mas com pneus slicks montados, os primeiros momentos da prova foram difíceis, tendo Patrick Cunha que passar por fora da pista para evitar um toque de outro piloto, o que atrasou substancialmente.

Ainda assim, o recruta da GOODSENSE Racing Team não baixou os braços e, sempre ao ataque, conseguiu recuperar terreno face ao líder do Campeonato de España IberGT, alcançando o comando, após ultrapassar o primeiros classificado.

No entanto, fruto dos muitos carros em pista, Patrick Cunha foi obrigado a levantar o pé para evitar um adversário, caindo para o segundo posto entre os carros do campeonato espanhol, obrigando-o novamente a recuperar terreno para o primeiro classificado.

Sempre entre os mais rápidos em pista, Patrick Cunha voltou a alcançar a liderança, mas acabaria por sofrer um toque do seu adversário na luta pela vitória na classificação do Campeonato de España IberGT, o que o lançou para um pião quando rodava no sexto lugar da geral.

Mais uma vez, o piloto do Lamborghini Gallardo da GOODSENSE Racing Team iniciou uma recuperação, encostando no seu rival na volta em que entrou nas boxes para entregar o carro a José Ramos. Este, no décimo posto da geral e confortavelmente no comando entre os “carros espanhóis”, acabou por ser apanhado num desentendimento com um concorrente atrasado e, depois do inevitável toque, o abandono era o único desfecho possível.

“Foi um resultado frustrante, porque o nosso andamento era muito forte e poderíamos vencer com facilidade e alcançar um bom resultado entre os pilotos do International GT Open. Conseguimos, juntamente com a Veloso Motorsport, resolver os problemas que nos apoquentaram ontem e hoje o carro estava muito bom. No início foi um pouco complicado, dado que a pista estava molhada mas estávamos com slicks, mas consegui evitar perder muitos lugares, muito embora tenha sido obrigado a sair de pista para me desviar de outro concorrente. Assim que pude explorar o carro fui imediatamente rápido e pude chegar ao comando, voltando a atrasar-me devido a um erro de um outro adversário. Voltei a chegar à liderança entre os ‘espanhóis’, mas sofri um toque do segundo classificado, que não travou, o que me atrasou novamente, quando já estava no sexto lugar da geral. Voltei a recuperar, o carro estava muito rápido, e entrei nas boxes encostado ao líder. Regressámos à pista no comando, mas o José (Ramos) acabou por ser apanhado numa situação difícil e tivemos que abandonar”, afirmou Patrick Cunha.

A passagem da GOODSENSE Racing Team por Barcelona salda-se por um excelente segundo lugar na primeira corrida e pela demonstração inequívoca de que é uma das equipas mais competitiva do panorama ibérico das corridas de GT.

Siga a temporada da GOODSENSE Racing Team através da sua página do Facebook e do seu website.